Fiscalização flagra medicamentos fora da validade em Feira Grande, AL



Ministério Público flagra medicamentos vencidos em postos de saúde em Feira Grande, AL (Foto: Divulgação/MP-AL)
Foto: Divulgação/MP-AL
Equipes da Fiscalização Preventiva Integrada do São Francisco (FPI) realizaram, nesta segunda-feira (10), uma ação em prol das unidades de atenção básica e maternidade, no município de Feira Grande, na região Agreste de Alagoas. As equipes apreenderam milhares de medicamentos e material hospitalar que estavam fora da data de validade. Os produtos apreendidos serão incinerados.
De acordo com a assessoria de comunicação do Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL), os casos mais graves aconteceram no Centro de Saúde e na Casa Maternal Feira Grande, ambos localizados no centro da cidade.
O MP-AL afirma ainda que remédios para pressão arterial, preservativos, anticoncepcionais, seringas, máscaras descartáveis, soros, escovas citológicas, recipientes para biopsia de citologia, lâminas para exames, agulhas, escalpes (dispositivo intravenoso) e sondas para lavagem gástrica estavam vencidos há pelo menos sete meses.
A reportagem do G1 tentou entrar em contato com o prefeito do município mas as ligações não foram atendidas.
O promotor de Justiça Saulo Ventura informou que as inadimplências consistem em crime contra a saúde. "Esse flagrante configura crime contra a saúde pública e a Prefeitura será responsabilizada judicialmente pelo Ministério Público Estadual de Alagoas", afirma o promotor.
A nutricionista da Vigilância Sanitária Estadual, Janine Márcia Santos, informa que os medicamentos vencidos podem levar ao óbito. "O medicamento vencido perde a sua eficácia e o paciente, que precisaria tomar aquele remédio para controlar uma doença, pode entrar em óbito", alerta a nutricionista.
A Central de Abastecimento Farmacêutico (Cafe) também apresenta problemas. Lá faltam desde fitas curativas e de esterilização, a medicamentos como dipirona. Segundo o Ministério Público, nenhuma das três unidades possuem licença ambiental e plano de gerenciamento de resíduos sólidos. "O IMA notificou a Prefeitura e deu um prazo de cinco dias para ela regularizar todas essas infrações", explicou Amanda Melo, gerente de fiscalização do Instituto.
Lixão a céu aberto

Durante o trabalho de fiscalização no Agreste e Sertão o Instituto do Meio Ambiente (IMA) autuou a Prefeitura de Belo Monte, nesta segunda-feira (10), pelo crime de disposição inadequada de resíduos sólidos. A assessoria do MP disse que o município continua mantendo um lixão a céu aberto no local, desrespeitando a legislação ambiental.

Por: G1-AL

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2018