Prefeitura e Câmara debatem situação do Residencial Arapiraca

Na manhã desta quarta-feira (22), a secretária municipal de Assistência Social, Anadja Almeida, esteve reunida com um grupo de vereadores na Câmara Municipal de Arapiraca.

A pauta do encontro foi o problema da invasão de dezenas de famílias em moradias do Conjunto Residencial Arapiraca, que possui 999 casas e está localizado na comunidade de Sementeira, nas imediações do Campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).
Participaram da reunião, os vereadores Moisés Machado (PSD), Josias Albuquerque (PSD), Graça Lisboa (PSD), Adalberto Saturnino (PMDB), Gilvânia Barros (PMDB), Fabiano Leão (PROS), Edvânio do Zé Baixinho (PROS), Sérgio do Sindicato (PPS), Fábio Rogério (PR) e Ronald Rios, o Roninho (PROS).
No início deste mês, 145 famílias invadiram casas que estavam desocupadas, mas que tinham beneficiários já selecionados pela Caixa Econômica Federal.

Durante o encontro com o grupo de vereadores, a secretária de Assistência Social, Anadja Almeida, revelou que a prefeitura está acompanhado de perto toda a situação dos moradores do conjunto residencial.
“Desde a entrega das casas, em outubro do ano passado, que cinco equipes da secretaria realizam um trabalho de atendimento social”, explicou Anadja Almeida.
Ela, no entanto, esclareceu que a Portaria 595, de dezembro de 2013, determina que a fiscalização dos imóveis deve ser feita somente pela Caixa Econômica Federal.
“Nossa parte foi realizar o cadastro das famílias e repassar ao banco”, salientou a secretária, acrescentando que muitas famílias não ocuparam seus imóveis.
Anadja Almeida declarou que, ao tomar conhecimento do fato, procurou representantes da Caixa Econômica Federal para expor a situação.

“Eles disseram que a equipe de fiscalização estava limitada e não tinha como fazer as inspeções naquele momento. Após a invasão, o banco adotou as providências, e agora estamos acompanhando de perto, mais uma vez, toda a situação”, completou a secretária, destacando a preocupação e o apoio dos vereadores de Arapiraca.
“Temos nossas limitações. Existe uma portaria da Caixa que determina a fiscalização por parte do banco. Fizemos o cadastramento com base no cadastro dos programas sociais, e agora estamos unidos com os vereadores para encontrar um meio de amparar as famílias que realmente necessitam das casas”, declarou a secretária.
De acordo com o projeto, cada moradia tem orçamento estimando em R$ 48 mil e prestação referente a 5% da renda limitada a R$ 25,00 durante 120 meses.
Foram investidos no empreendimento mais de R$ 47 milhões do projeto Minha Casa Minha Vida para beneficiar famílias com renda até dois salários mínimos por mês.
Em sua fala, o vereador Moisés Machado disse que o grupo esteve no local e ficou impressionado com a depredação dos imóveis.

Uma parte das moradias foi depredada e objetos furtados, a exemplo de portas, janelas, telhado, pias e até vasos sanitários.
A vereadora Graça Lisboa também demonstrou sua preocupação com o problema, afirmando que uma solução deve ser feita imediatamente.

Os outros parlamentares presentes à reunião também revelaram o mesmo pensamento, e reafirmaram o compromisso de defender os interesses das famílias que têm direito às moradias.

Por: Ascom Arapiraca 

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017