Leitos de retaguarda garantem atendimento de qualidade no Hospital Daniel Houly

Ascom SESAUO Governo do Estado de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), mantém uma importante parceria que garante melhor atendimento à população agrestina, em especial aos pacientes que utilizam os serviços da Rede de Urgência e Emergência. A contratualização de leitos de retaguarda, em Arapiraca, tem resolvido um problema antigo do Hospital de Emergência Daniel Houly (HEDH).
Antes, o Hospital de Emergência Daniel Houly registrava acomodação improvisada de pacientes nos corredores, uma triste realidade ainda enfrentada por mais de 60% dos hospitais públicos do Brasil. Ao todo, a Sesau mantém a contratualização de 54 leitos de retaguarda junto ao Hospital Chama, sendo que 29 deles são destinados ao Hospital de Emergência. Essa quantidade de leitos pode variar de acordo com a demanda.
“Hoje, com os leitos de retaguarda, conseguimos manter o Hospital vazio e com um fluxo dinâmico de pacientes. A eliminação de pacientes nos corredores não era compatível com o perfil de nossa unidade, que tem como objetivo salvar vidas e não permanecer com pacientes internados para tratamento”, frisou o diretor médico do hospital, Celso Marcos.
A maioria dos leitos reservados ao Hospital de Emergência é direcionada às áreas de neurologia e ortopedia, geralmente contemplando vítimas de acidentes motociclísticos. Dentro dessa contratualização ainda estão disponíveis sete leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo quatro para o Hospital de Emergência.
A transferência dos pacientes do Hospital para os leitos contratualizados obedece algumas etapas. Após darem entrada no Hospital de Emergência, os pacientes são estabilizados para, só então, serem enviados ao Chama. A avaliação é feita em conjunto pelas equipes de neurologia e de ortopedia e pela direção, garantindo alta resolução dos casos.

HOSPITAL CHAMA
De acordo com a administradora do Hospital Chama, Sônia Palmeira Magalhães, 90% dos pacientes que vêm da UE precisam de continuidade em tratamento da ortopedia ou da neurologia. “Esses pacientes já vêm diagnosticados e prontos para darmos continuidade ao tratamento”, frisou a administradora. Ela adianta ainda que dos 54 leitos de retaguarda disponibilizados pelo Hospital Chama, quatro são pediátricos.
Um desses pacientes é o jovem Pedro Henrique Farias, de 24 anos. No último dia 30 de junho ele foi vítima de um acidente em Arapiraca e sofreu fratura na tíbia e fíbula da perna esquerda. Após ser estabilizado no Hospital de Emergência foi encaminhado para um dos leitos de retaguarda do Hospital Chama, onde aguarda a realização do procedimento cirúrgico. “Estou sendo bem atendido e já comecei a fazer os exames pré-cirúrgicos. Quero me recuperar logo para voltar a trabalhar”, finalizou Pedro Henrique.
Por: Minuto Arapiraca // SESAU

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2018