Comissão fará levantamento de situação legal das escolas alagoanas

Foto: José Demétrio
Uma comissão formada pela Secretaria de Estado da Educação (SEE), Conselho Estadual de Educação (CEE), União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e União dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme) vai promover um levantamento das escolas alagoanas que se encontram em situação regular e irregular para funcionamento. Instituições públicas e privadas devem procurar a Coordenadoria Regional de Educação (CRE) mais próxima até o próximo dia 31 e responder ao cadastro.

Intitulada ‘Projeto Regularize’, a decisão foi publicada com a Portaria 2.427/2015, no dia 3 de agosto, no Diário Oficial do Estado, e visa traçar um diagnóstico das escolas que apresentam os pré-requisitos legais para o funcionamento, regularizando a situação daquelas que apresentam pendências.

Uma instituição devidamente regularizada e apta para funcionamento atende aos critérios da Portaria 51/2002 do CEE, que estabelece as normas para credenciamento de Instituições de Educação Básica, autorização e reconhecimento de etapas ou modalidades das Instituições de Educação Básica, do Sistema Estadual de Ensino de Alagoas.

A gerente de Orientação, Normatização e Inspeção Escolar da Superintendência de Gestão do Sistema Educacional da SEE, Juliana Cahet, explicou a importância do credenciamento.

"Uma escola em situação irregular, por exemplo, não pode emitir histórico. A partir deste credenciamento, faremos um diagnóstico da situação legal de nossas escolas e, a partir do diagnóstico encontrado, a comissão vai apresentar os encaminhamentos e proporcionar todo o apoio técnico necessário para que essas unidades regularizem sua situação.Por isso, é importante que  todas as unidades de todas as redes de ensino de Alagoas realizem esse procedimento", ressaltou Cahet.

Cadastro 

No formulário de cadastro das escolas constam perguntas sobre a identificação das unidades de ensino e de seus gestores, além de campos que visam traçar a situação das instituições, do ponto de vista legal. O formulário questiona também se o processo de regularização da escola está em tramitação, bem como o número do processo aberto com essa finalidade.

O cadastro cobra ainda informações sobre quem mantém a instituição de ensino, do imóvel onde a escola funciona e quando entrou em funcionamento. Cobra, ainda, dados sobre o número de vagas ofertadas e de matrículas efetuadas na educação infantil, ensinos fundamental e médio. 

Por: Agência Alagoas 

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2018