Gestores alagoanos pedem apoio da população para enfrentar crise


Em evento organizado pela Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), mais de 30 prefeitos, vice-prefeitos, presidente de câmaras e vereadores de várias localidades do Agreste e Sertão de Alagoas estiveram presentes, na manhã desta quinta-feira (27), na cidade de Arapiraca, onde participaram de entrevista coletiva com a imprensa.
Os gestores tiveram a oportunidade de apresentar o quadro da situação econômica por que passa cada município.
A prefeita Célia Rocha (PTB) recebeu os gestores alagoanos no auditório da Escola Municipal de Governo de Arapiraca.
Também estiveram presentes secretários municipais e os vereadores Adalberto Saturnino (PMDB); Josias Albuquerque (PSD); Sérgio do Sindicato (PPS); Edvânio do Zé Baixinho (PROS); Dorje do Queiro (PRTB), entre outras lideranças políticas do município.
Na abertura da coletiva, o presidente da AMA, Marcelo Beltrão, disse que os prefeitos estão no limite de suas capacidades financeiras para a oferta de serviços à população.
Beltrão revelou que os municípios estão perdendo recursos desde o ano de 2008, com a centralização de verbas na esfera federal.
“Nossa orientação é de que os prefeitos continuem mobilizados e enxugando os custos para o enfrentamento da crise financeira”, frisou o presidente da AMA, citando as constantes quedas nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que, segundo Beltrão, os municípios brasileiros já acumulam perdas no valor de R$ 1,5 bilhão este ano.

Cortes na Câmara
Em sua fala, o prefeito de Quebrangulo, Manoel Tenório (PSDB) também citou as dificuldades financeiras e lançou a proposta de conversar com os vereadores, a fim de negociar a reduão no repasse do duodécimo para o Poder Legislativo.
“Queremos sensibilizar a população, mas também queremos o apoio dos vereadores nesse momento tão difícil por que passam as prefeituras em Alagoas e no Brasil”, acrescentou Tenório.
A prefeita de Arapiraca, Célia Rocha (PTB), destacou a união dos gestores, frisando também os obstáculos que seu município vem enfrentando com as quedas de recursos do FPM.
“Há aumento anual do salário mínimo, de gasolina, tarifas de energia elétrica e de outros serviços para manutenção da máquina pública. Fomos um dos primeiros a cortar despesar e reduzir salários de secretários e de cargos em comissão, mas as dificuldades persistem e precisamos do apoio da população para buscarmos meio de amenizar todo esse impacto nos serviços oferecidos aos cidadãos e cidadãs”, completou Célia Rocha.
Ao final do evento, o presidente da AMA, Marcelo Beltrão, adiantou que a entidade vai promover cinco encontros regionais e, depois, uma audiência com os deputados na Assembleia Legislativa Estadual (ALE).
Ele disse que as áreas de saúde, educação, meio ambiente e assistência social, entre outras, foram praticamente municipalizadas, com as prefeituras executando esses serviços públicos para a população.
O presidente da AMA ressaltou que, no programa de alimentação escolar, a merenda tem o custo por aluno de R$ 0,30 centavos. No transporte escolar, os municípios recebem R$ 12,00 por aluno.
“Isso está sufocando as prefeituras alagoanas. Temos o apoio da nossa bancada federal, em Brasília, mas precisamos ampliar esse mutirão em defesa do movimento municipalista”, finalizou Beltrão.

Por: Ascom Arapiraca 

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017