Justiça determina prisão de mãe de menino achado morto em Arapiraca

Mãe do garoto Dyllan, Joyce, alega que não participava das agressões ao filho (Foto: Reprodução/TV Gazeta)
Foto: Reprodução/TV Gazeta
A Justiça determinou nesta quinta-feira (11) a prisão preventiva de Joyce Silva Soares, mãe do menino Dyllan Taylor Soares, que foia chado morto com marcas de agressão em Arapiraca, município do Agreste alagoano.
Ela e o padrasto do menino, Meydson Alysson Alves da Silva Leão, são apontados como responsáveis de uma série de espancamentos que teriam causado a morte do garoto, de apenas 3 anos. A decisão foi do juiz Alfredo dos Santos Mesquita, da 5ª Vara Criminal de Arapiraca.
O magistrado informou que recebeu o parecer do promotor de Justiça Nílson Miranda, titular da 5ª Promotoria de Justiça de Arapiraca, na última sexta (5). Segundo ele, a decisão tomou como base o parecer do Ministério Público, que acusa a mãe e o padrasto de homicídio, por terem assumido o risco de matá-lo ao praticarem as agressões.
“O laudo mostra que houve espancamento. O padastro está preso e, como a mãe estava no local, a prisão é necessária para se apurar se ela participou ou foi conivente com as agressões”, disse Mesquita.
Dyllan Taylor Soares foi achado morto em casa (Foto: Arquivo / Polícia Civil)
(Foto: Arquivo / Polícia Civil)
O juiz comunicou que a decisão será encaminhada para a Polícia Civil a fim de que  seja cumprida a prisão da acusada.
Entenda o caso

O menino de 3 anos foi encontrado morto no dia 21 de janeiro, dentro de casa e com diversos hematomas pelo corpo.

No mesmo dia, o padrasto dele foi preso em flagrante sob suspeita de homicídio qualificado.
A Polícia Civil já havia pedido a prisão preventiva de Joyce. O delegado Magaiver, responsável pela investigação da morte do menino Dyllan Taylor Soares, concluiu o inquérito no dia 27 e o remeteu à Justiça com o pedido de prisão.
Por: G1-AL

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017