Mãe de Dyllan nega ter participado de agressão ao menino achado morto


Foto: Reprodução TV GAZETA
A jovem Joyce Silva Soares, mãe do menino Dyllan Taylor Soares, que foi achado morto com marcas de agressão em Arapiraca, negou que tenha participado das agressões que provocou a morte do menino de 3 anos em uma entrevista à reportagem da TV Gazeta. A polícia pediu a prisão preventiva dela após o padrastro do menino afirmar, em depoimento, que a companheira também agrediu o filho.

Na entrevista, Joyce Soares chorou, disse que sente falta do menino Dyllan e relatou que a criança já não queria ficar só em casa com o padrasto. "No dia que aconteceu a agressão quando eu saía para trabalhar ele calçou a sandália e disse que não queria ficar em casa. Mas quando eu perguntava se algo acontecia ele me olhava e dizia que não", expôs.

Ao falar que o menino apresentava medo, Joyce Soares contou que quando chegou do trabalho encontrou a criança no quarto e que o companheiro dela tentou bater na criança porque o menino havia vomitado na cama.

"Eu reagi e joguei o copo de água no chão. Peguei a criança e perguntei se ele estava doido. Perguntei ao Meydson se algo tinha acontecido. Primeiro ele negou, depois disse que a criança havia caído no banheiro", relata, ao afirmar que levantou durante a noite para ver ser a criança estava respirando.

Ao final da entrevista Joyce diz que gostaria de ficar frente ao companheiro, que está preso, para confrontar o relato dele sobre as agressões e mostrar o que ele fez com a criança.


Prisão preventiva
A Polícia Civil informou ao G1, nesta segunda-feira (1), que o delegado Magaiver, responsável pela investigação da morte do menino Dyllan Taylor Soares, em Arapiraca, concluiu o inquérito e o remeteu à Justiça com o pedido de prisão preventiva da mãe da criança, Joyce Silva Soares.

O inquérito foi remetido na última quarta (27) à 5ª Vara Criminal da comarca daquele município pela Delegacia de Homicídios.

O menino de 3 anos foi encontrado morto no dia 21 de janeiro, dentro de casa e com diversos hematomas pelo corpo. No mesmo dia, o padrasto dele, Meydson Alysson Alves da Silva Leão, foi preso em flagrante sob suspeita de homicídio qualificado.

Segundo a polícia, Dyllan teria morrido no dia anterior. Em depoimento, a mãe da criança disse que havia saído para trabalhar e deixado o filho em casa com o padrasto. Meydson Silva admitiu à polícia que costumava agredir a criança, mas que o fazia na companhia da mãe dela. A polícia acredita que Dyllan morreu em conseguência da série de agressões.

A 5ª Vara Criminal confirmou o recebimento do inquérito policial, mas não informou o teor do documento. O juiz substituto Jandir de Barros Carvalho informou que o titular retorna das férias na próxima quarta (10) e que é ele quem ficará responsável pela análise do caso para decidir se decreta a prisão de Joyce.
Por: g1 - AL

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017