Arapiraca se contagia com espírito olímpico na passagem da Tocha

tocha (1)Em casa, com uma cartolina branca, lápis de cor, papel crepom e muita criatividade, um adolescente torna em realidade o sonho de segurar a Tocha Olímpica.
A sua réplica de papel não se intimidou com a iminência da chuva deste domingo (29), que mais parecia batizar e abençoar a cidade de Arapiraca no dia da passagem da chama sagrada dos Jogos Rio 2016.
Um momento para ficar na história esportiva local, já que outro evento como este – que se dará como aberto oficialmente no dia 5 de agosto – não se tem previsão de voltar ao Brasil.
Por isto mesmo, categoricamente, Kainan Roberto dos Santos, de 15 anos, estava postado junto ao meio-fio defronte à Escola Municipal de Circo, no bairro Santa Edwiges, com a sua réplica de cartolina da Tocha.
“É emocionante ver algo dessa grandeza aqui em nossa terra”, diz ele, enfatizando o que a chama simboliza: o amor, a paz e a união entre os povos de todo o globo. Ele estava ao lado de vários de seus amigos da Escola de Ensino Municipal Pedro Correia das Graças.
tochaaEste foi o mesmo sentimento externado pela prefeita Célia Rocha, que acompanhou a troca dos revezadores Professor Zezinho, que é educador físico e um baluarte no esporte local, e Régis Firmino, premiado triatleta arapiraquense.
“Ver isso acontecendo em nossa cidade alimenta o espírito olímpico que molda nossa época. Precisamos de mais momentos de união, reflexão entre as nações. Para mim, a metáfora da passagem da Tocha representa isso e estou imensamente feliz”, pontua Célia.
Carregando essa mensagem no alto de seus 33 anos, o professor doutor do curso de Ciência da Computação, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Elthon Salvador Oliveira, foi um dos condutores destes 6,3 km em Arapiraca, perpassados por oito bairros – Jardim Esperança, Senador Nilo Coelho, Cavaco, Eldorado, Centro, Alto do Cruzeiro, Senador Teotônio Vilela e Santa Edwiges.
tocha (2)Ele a levou apenas por 200 metros, mas descreveu a experiência como uma mistura de sentimentos. “Sempre fui fascinado por esportes. Mais ainda depois de ver pela televisão as Olimpíadas de Atlanta, nos EUA. Então, ver Arapiraca recebendo este símbolo mundial e, ainda, estar fazendo parte disso é indescritível”, coloca ele, que hoje é atleta e compete em maratonas aquáticas.
No Ginásio João Paulo II, no Parque Ceci Cunha, bairro do Centro, houve uma solenidade oficial com diversas autoridades. Além da prefeita Célia Rocha e do vice Yale Fernandes, estiveram presentes o deputado estadual Ricardo Nezinho, a secretária de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, Cláudia Petuba, vereadores e secretariado municipal.
Eles e o público presente presenciaram diversas atividades esportivas – como rugby e futebol feminino nas quadras de areia locais – e manifestações culturais, a exemplo do Guerreiro do Seu Elias, quadrilhas juninas Renascer do Sertão, Gonzagão, Pisoteio e Banaluar, coco de roda Balança Mas Não Cai e coreografia do Arapiraca Garante a Primeira Infância (Agapi), entre outras. Dezenas delas estavam espalhadas por toda a cidade em diversos pontos. Veja:
Ponto 1 -­ Praça Maria das Dores
Corrente humana com 1.500 estudantes;
Apresentações de danças afro da comunidade remanescente quilombola da Massaranduba;
Largada do passeio ciclístico.
Ponto 2 -­ Posto Lourinho
Corrente humana com 1.000 estudantes;
Largada do passeio motociclístico;
Rock Pró ­Cultura.
Ponto 3 ­- Praça Câmara Júnior
Corrente humana com 2.000 estudantes;
Apresentação da Banda de Fanfarra Mário César Fontes;
Aulão de zumba.
Ponto 4 -­ Posto Mazzaropi
Corrente humana com 300 estudantes.
Ponto 5 ­- Largo Dom Fernando Gomes (calçadão)
Corrente humana com 1.000 pessoas;
Apresentações de capoeira, danças folclóricas e regionais da Escola Claudeci Bispo;
Apresentação de coral com paródias relacionadas à Tocha Olímpica da Escola Jayme de Altavila;
Performance de dança da Escola São Lucas.
Ponto 6 ­- Praça Bom Conselho
Corrente humana com 700 pessoas;
Apresentação da Banda de Fanfarra Avelina do Carmo.
Ponto 7 ­- Praça Marques da Silva
Performances da banda da Polícia Militar, Banda de Fanfarra do Djalma Matheus Santana, Chorinho da AAPIAR, Coral Sons e Dons e Pequenos Tons.
tochaa2Ponto 8 -­ Mercado do Artesanato
Projeto Cultura na Praça, com Guerreiros do Mestre Elias, Folguedos da AAPIAR, Coco de Roda Balança Mas Não Cai, Destaladeiras de Fumo do Fernandes, Coco de Roda do seu Nelson Rosa e Banda de Pífanos do Pai Alex.
Ponto 9 ­- Expomandioca (em frente ao Memorial da Mulher)
Exposição e degustação da culinária local, derivada da mandioca.
Ponto 10 -­ Rua Delmiro Gouveia (Parque Ceci Cunha I)
Corrente humana com 1.000 estudantes;
Apresentações de capoeira, danças folclóricas e regionais das escolas Tibúrcio Valeriano, 31 de Março e Pedro Correia.
Ponto 11 -­ 1ª Quadra de Areia (Parque Ceci Cunha)
Torneio de Rugby.
Ponto 12 –­ 2ª Quadra de Areia (Parque Ceci Cunha)
Futebol de Areia Feminino.
Ponto 13 -­ Quadra Esportiva (Parque Ceci Cunha)
Basquete de cadeirantes.
Ponto 14 -­ Pista de Esportes Radicais
Apresentações de patins e skate.
Ponto 15 -­ Ginásio Municipal João Paulo II (Cerimonia Oficial)
Coreografia com 200 pessoas – Arapiraca Garante a Primeira Infância (Agapi);
Apresentação de quadrilhas juninas.
Ponto 16 –­ Início do Bosque das Arapiracas
Roda de capoeira, judô e jiu­jitsu.
Ponto 17 –­ Escola Municipal de Circo
Apresentações da Escola de Circo e artistas circenses da cidade e performances de ginástica rítmica (bambolê, fita, bola etc.) e ballet., Centro, Alto do Cruzeiro, Senador Teotônio Vilela e Santa Edwiges.
Por: Ascom Arapiraca 

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017