Samu Arapiraca dá dicas sobre quando o serviço deve ou não ser acionado

Trabalho de conscientização resultou em aumento de 40% no número de atendimentos das Unidades de Suporte Avançado (USA)
Foto: Arnaldo Santos
Apesar da queda acentuada no número de trotes registrados pela Central de Regulação Telefônica do Samu Arapiraca, muitas pessoas ainda desconhecem a verdadeira função do serviço e ocupam as linhas telefônicas de forma equivocada e desnecessária.

Solicitar viatura para casos de dores de cabeça, febre, diarreia ou até mesmo pedir orientação médica para tratar os mais variados tipos de doenças são algumas das situações mais comuns vivenciadas diariamente pelos telefonistas.

Ligações como estas podem custar caro, principalmente quando em outro local da cidade há alguém com a vida por um fio e precisando da linha desocupada para um atendimento rápido.

“O Samu não é taxi. As pessoas têm que compreender a importância do Serviço e quando é realmente necessário acioná-lo”, alertou o diretor médico do Samu Arapiraca, Lucas de Oliveira Amaral.
Ainda de acordo com o gerente, o trabalho de divulgação feito nas escolas e nos meios de comunicação tem ajudado bastante na conscientização das pessoas. Reflexo desse trabalho foi o aumento de 40% no número de atendimentos das Unidades de Suporte Avançado (USA) e 70% das Motolâncias.

Como funciona – A Central de Regulação Telefônica é o coração do Samu. Tudo começa pela ligação do 192. Nos primeiros trinta segundos os telefonistas filtram possíveis trotes e avaliam o quadro inicial do paciente, assim como a sua localização.

Em seguida a ligação é passada para o médico regulador, que avalia se o atendimento será de urgência ou emergência e, consequentemente, qual tipo de viatura será liberada, USB ou USA.

A ligação pelo 192 não termina quando a viatura é acionada. No espaço de tempo enquanto ela encontra-se em deslocamento, o médico regulador passa orientações importantes para estabilizar o paciente até a chegada dos socorristas.

No Samu Arapiraca foi criado um sistema para que o tempo resposta entre a ligação e a partida da viatura da base seja em média de dois minutos. As motolâncias, mais conhecidos como Pelicanos, conseguem chegar ao local num espaço de tempo médio de até oito minutos antes da viatura.

Os pelicanos são equipados com colar cervical, medicamentos e outros equipamentos necessários para imobilizar pacientes de traumas ou reverter possíveis tratamentos clínicos. O serviço de urgência e emergência de Arapiraca funciona com protocolos, o que otimiza o serviço de atendimento móvel de urgência.

SAIBA QUANDO CHAMAR O SAMU
- Suspeita de infarto
- Suspeita de acidente vascular cerebral (AVC)
- Descompensação  diabética
- Acidentes domésticos
- Acidentes de trânsito
- Lesões por arma de fogo ou arma branca
- Afogamento
- Choque
- Crise convulsiva

SAIBA QUANDO NÃO CHAMAR O SAMU
- febre
- dor no corpo
- dor de cabeça
- diarreia, entre outros.

Por: Agência Alagoas // Adalberto Custódio

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017