AL é destaque em número de escolas participantes na Olimpíada Brasileira de Física

Proposta da SBF não é promover uma competição, mas despertar o interesse dos jovens, mostrando para estudantes e docentes a importância, relação e aplicação da Física em nosso cotidiano
Foto: José Demétrio
Falta pouco menos de um mês para estudantes de todo o País participarem de mais uma edição da Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP), realizada pela Sociedade Brasileira de Física (SBF), no próximo dia 24 de agosto. 
​ 
Alagoas ​é destaque este ano pelo número de escolas participantes. O Estado saiu da 21ª posição para a 3ª, perdendo apenas para São Paulo e Ceará, com um total de 145 escolas inscritas, sendo 132 delas da ​rede estadual. 

De acordo com o professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e coordenador das olimpíadas no estado, Kleber Cavalcanti Serra, a proposta da SBF não é promover uma competição, mas despertar o interesse dos jovens, mostrando para estudantes e docentes a importância, relação e aplicação da Física em nosso cotidiano.
  
“Esta parceria da coordenação estadual com a Secretaria d​a Educação foi fundamental, pois até o ano passado nossa participação era zero e hoje só perdemos para estes dois estados. Agora estamos socializando e estimulando os professores a levar a Física aos seus alunos”, declarou o coordenador. 

Formações
Para garantir bons resultados também nas provas, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), por meio do Centro de Ciências e Tecnologia da Educação (Cecite), em parceria com a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), está realizando formação em serviço para todos os professores de Física das 13 Gerências Regionais de Educação (Geres). 

Após o primeiro momento em Maceió, foi a vez das regiões do Agreste, ​Zona da ​Mata e ​Sertão ​a serem contempladas com a formação, reunindo cerca de 40 profissionais de sete gerências​, nesta sexta-feira (29), na Escola Estadual Izaura Antônia Lisboa, em Arapiraca. Participaram as regionais de Palmeira dos Índios, Viçosa, Arapiraca​,​ Santana do Ipanema, Pão de Açúcar, Penedo e Piranhas.    

Segundo o diretor do Cecite e responsável pela mobilização da OBFEP na rede estadual, Ronaldo Cristiano, os professores receberão uma formação de 60 horas com certificação pela Seduc. Serão cinco horas com estes momentos presenciais, e mais 55 h​oras em educação ​à distância (EAD)​, em plataforma disponibilizada pela própria secretaria, com início a partir desta segunda-feira (01). 

“Nosso objetivo é que esta formação chegue aos nossos alunos. Não adianta incentivar escolas a participarem e não auxiliar na preparação, por isto nosso empenho, com a Universidade, neste momento”, afirmou Ronaldo​.​


Novos frutos
Um dos participantes foi o professor da Escola Estadual Maria de Lourdes Santos Silva, de Batalha-AL, João Francisco Palmeira Freitas. Ele, que foi ensinar a disciplina ainda sem formação específica, hoje licenciado, afirma que a ​Física é apaixonante e que conquistou pelo menos sete ex-alunos, “hoje todos na Física”. 

“Fui para a sala de aula com o que sabia. A diretoria dizia ‘o que você puder levar vai ser útil’, já que na época praticamente não existiam profissionais especialistas, principalmente na minha região. Hoje tenho formação pela Ufal. A física revolucionou a minha vida e a vida dos meus alunos. Dois deles formaram-se comigo na universidade e cinco estão cursando a licenciatura”, pontuou João, emocionado. 

Para Kleber Cavalcanti, esta é outra proposta intrínseca na Olimpíada, incentivar a formação de novos profissionais na área, que é uma das grandes carências e desafios em todo o País em termos de docência. Ele destacou o avanço obtido com a oferta em EAD. 

“Nós formamos 70 alunos desde 2007. O resultado foi melhor do que os 40 anos de curso presencial. E o João Francisco foi um destes novos frutos”, comemorou.
Por: Agência Alagoas 

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017