Cenário de negócios atrai diferentes empreendimentos para Alagoas

Rede de hotéis GJP,  investirá R$ 400 milhões em um empreendimento na praia de Ipioca e deve gerar mil empregos diretos
(Foto: Ilustração)
Localização estratégica, clima adequado e benefícios fiscais. O cenário de negócios em Alagoas atrai cada vez mais empreendimentos para o Estado. Prova disso é a confirmação de quatro novos empreendimentos, que somam um investimento de mais de R$ 500 milhões.

Do total, a maior fatia fica por conta da rede de hotéis GJP, que investe R$ 400 milhões em um empreendimento na praia de Ipioca e deve gerar mil empregos diretos. O empreendimento será composto por um resort de 375 quartos, um hotel boutique de 25 bangalôs, um condo-hotel de 480 apartamentos, além de um condomínio com 140 lotes residenciais e 12 comerciais. O complexo pertence ao grupo que controla a CVC e deve começar a operar em 2018.

A Real Telhas e Revestimentos, que será implantada no Distrito Industrial de Penedo, terá um investimento inicial de R$ 54 milhões. A unidade fabril, prevista para iniciar suas atividades em 2018, deve gerar 420 empregos diretos e indiretos e produzir, na fase inicial de operação, 250 mil m² de pisos e 1,3 milhão de peças de telha.

Já a Esmalglass, multinacional espanhola fabricante de esmaltes, pigmentos e aditivos cerâmicos, iniciou este ano o processo para abrir uma unidade no Polo de Marechal Deodoro. Com um investimento previsto em R$ 45 milhões, a indústria deve atender o mercado das regiões Norte e Nordeste, além de gerar 240 empregos diretos e indiretos.

No setor alimentício, a empresa de suplementos Nutrivita também chega a Alagoas, com a instalação de uma central de distribuição em Delmiro Gouveia, a 300 km da capital alagoana, com investimento total de R$ 1 milhão. A distribuidora deve gerar cerca de 80 empregos diretos e indiretos.

“Esses sãos os resultados concretos de uma nova estratégia do Estado, focada na política de incentivos, na segurança jurídica e na interiorização do desenvolvimento, com o aproveitamento das potencialidades reais de cada região”, disse o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima.

Com a reformulação do Programa de Desenvolvimento Integrado de Alagoas (Prodesin) o empresário passou a contar com a redução de 92% do pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na saída dos produtos industrializados, além do diferimento do ICMS sobre os bens destinados ao ativo fixo e sobre a matéria-prima utilizada na fabricação de produtos. No Estado, 48 empresas já operam com os benefícios da modernização.
Por: Agência Alagoas 

Compartilhe :

veja também

últimas notícias


Entre em contato

ara.noticia@hotmail.com


www.aranoticia.com - Todos os direitos reservados. © 2017